Bolsa Crack do PSDB escondida no caderno cotidiano da Folha

Ficha Corrida

Após 2 anos, bolsa ‘anticrack’ de MG não sabe quantos recuperou

Programa que foi modelo para o de São Paulo sofre com falta de vagas e de acompanhamento

Governo de Minas alega limitação financeira e diz haver planos para melhorar a qualidade das entidades parceiras

PAULO PEIXOTODE BELO HORIZONTE

Lançada há cerca de dois anos, a "bolsa antidrogas e antiálcool" mineira, referência para a "bolsa anticrack" do governo paulista, não tem dados objetivos dos resultados e enfrenta falta de vagas e desconfiança sobre o trabalho das comunidades terapêuticas, parceiras do programa.

Implantado em agosto de 2011, o programa chamado Aliança pela Vida subsidia o tratamento de viciados com R$ 900 mensais, por até seis meses. O crédito fica em um cartão dado às famílias, para pagamento das comunidades.

Mas o governo Antonio Anastasia (PSDB) não tem o perfil dos atendidos nem sabe dizer o percentual de recuperação e reinserção social…

Ver o post original 264 mais palavras

Anúncios

Sobre florencio1

um homem simples
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s